Quando ir: Calendário de Eventos | Islândia Brasil



QUANDO IR

CALENDÁRIO DE EVENTOS

Para saber sobre feriados públicos, veja o item "Feriados" na página Informações Gerais.

Janeiro


Dia de Ano Novo (1º de janeiro). É na verdade um feriado de dois dias, pois nada abre até 3 de janeiro.

Þrettándinn (6 de janeiro). Esse dia marca o final da época de Natal. Os islandeses celebram com algo que se parece uma reprise da véspera de Ano Novo, incluindo fogueiras, fogos de artifício e música tradicional, enquanto as crianças atiram bolas de neve nos carros.

Þorrablót (da sexta-feira que cai entre 19 e 25 de janeiro até quase todo o mês de fevereiro). Essa tradição viking antiga – que tem seu nome por causa de Þorri, um mês do antigo calendário islandês – era originalmente um banquete de sacrifício envolvendo o sangue de bois e cabras. As comemorações contemporâneas envolvem dança, canto, e muitos comeres e beberes de especialidades nórdicas, incluindo cabeça de ovelha defumada, testículos de carneiro picados e tubarão apodrecido (leia mais sobre todas essas comidas e mais na página Comida). Jantares especiais do Þorrablót podem ser encontrados em alguns restaurantes de Reykjavík; em cidades menores, os visitantes são normalmente convidados a se juntarem aos moradores.

Fevereiro


Comida e Diversão (final de fevereiro). Por quatro dias os melhores restaurantes de Reykjavík criam menus prontos com descontos. Em uma competição televisionada, chefs de renome internacional são desafiados a criar pratos na hora a partir de ingredientes puramente islandeses. Site: foodandfun.is.

Winter Lights Festival (final de fevereiro). Reykjavík fica completamente acesa para esse monte de eventos simultâneos que compreendem o Winter Lights: de qualquer coisa desde desfiles de moda a acrobacias com skate e de apresentações de corais ao ar livre até dança do ventre.

Bolludagur (na segunda-feira antes da Quarta-Feira de Cinzas). O "Dia do Bolinho" é comemorado por se comer bolinhos cremosos (bollur) em formatos variados. De manhã, as crianças tentam pegar seus pais ainda na cama, e então batem neles com varetinhas decoradas com várias cores, as "varinhas do bolinho" (bolluvondur). Os pais são então obrigados a dar aos seus filhos um bolinho cremoso para cada golpe da varinha recebido.

Sprengidagur (dia anterior à Quarta-Feira de Cinzas). O nome desse feriado pode ser traduzido mais ou menos como "dia da explosão" e é comemorado por comer carne salgada e ervilhas até chegar ao ponto da pessoa explodir. Muitos restaurantes participam.

Quarta-Feira de Cinzas (Öskudagur) (sétima quarta-feira antes da Páscoa). As crianças se vestem com fantasias e andam pelas cidades cantando, pedindo doces. Se parece muito com o Halloween, e é também o dia considerado para pregar peças nas pessoas.

Março / Abril


Dia da Cerveja (1º de março). Esse feriado não-oficial marca o aniversário da legalização da cerveja com teor alcoólico maior que 2,2% pela Islândia em 1989. Adivinhe como é comemorado.

Domingo de Páscoa (março ou abril). A Páscoa tem um significado especial na Islândia, pois ela marca o final do longo e escuro inverno. A maioria dos trabalhadores ganha cinco dias de folga, da Quinta-Feira Santa até a Segunda-Feira de Páscoa, e a grande quantidade de estabelecimentos fechados causa complicações para os turistas. As famílias se reúnem e comemoram com cordeiro defumado e ovos de chocolate gigantes. O final de semana da Páscoa é especialmente movimentado em Ísafjörður, o centro cultural dos Fiordes do Oeste, com competições de esqui e o festival de rock "I Never Went South".

Primeiro Dia de Verão (a quinta-feira que cai entre 19 e 25 de abril). O verão começa cedo no antigo calendário islandês. O fim das longas noites de inverno é comemorado com troca de presentes, desfiles, entretenimento nas ruas e eventos esportivos.

Orkugangan (março ou abril). Esse popular evento de esqui faz com que os participantes corram os 60 km de distância entre o Krafla e a cidade de Húsavík, no norte do país.

Maio


Maratona de Esqui de Fossavatn (início de maio). A cidade de Ísafjörður, nos Fiordes do Oeste, recebe essa maratona de esqui de 50 km. Site: fossavatn.com.

Festival de Artes de Reykjavík (meados de maio). Por 16 dias, Reykjavík é tomada por esse evento patrocinado pelo governo. Muitos artistas internacionais e shows estão inclusos na programação. Site: artfest.is.

Festival Rito da Primavera (meados de maio). Ocorrendo pela primeira vez em 2006 e alguma vez indo de encontro com o Festival de Artes de Reykjavík, esse evento é privado e se foca mais em folk contemporâneo, jazz e world music.

Junho


Dia do Marinheiro e Festival do Mar (primeiro final de semana de junho). Esse feriado celebra aqueles que vivem do mar, e é comemorado em todo o país com desfiles, eventos culturais, ótima comida de frutos do mar e barulhentas festas. Os pescadores fazem demonstrações de resgate, e fazem parte de corridas e competições de nado, além de outras competições de força. O "Festival do Mar" é a comemoração local de Reykjavík, que geralmente acontece no final de semana seguinte.

Dia Nacional (17 de junho). Esse feriado público marca a independência completa islandesa da Dinamarca em 1944. O dia começa em um tom solene e patriótico, mas à tarde as multidões tomam as ruas para ver os desfiles, danças tradicionais, artistas de rua e entretenimento teatral. Uma das reuniões mais significativas ocorre no Parque Nacional Þingvellir, onde o parlamento islandês se reuniu pela primeira vez no ano 930. Cada cidade comemora ao seu próprio modo, então verifique os detalhes de cada localidade.

Solstício de Verão (21 de junho). No dia mais longo do ano, muitos islandeses se reúnem tarde da noite para ver o sol tocar o horizonte e pouco tempo depois nascer novamente. Eventos organizados formalmente são raros, mas os visitantes normalmente são bem-vindos a se juntar às comemorações locais. Todos os anos a Ferðafélag Íslands organiza uma escalada que toma a noite toda ao vulcão Hekla. Site: fi.is.

Festival Viking (meados de junho). Por 10 dias, hordas de vikings modernos chegam a Hafnarfjörður, cidade da região metropolitana de Reykjavík, para várias atividades: artes vikings, casamentos com roupa tradicional, e encenações de batalhas contra as forças cristãs. Enquanto alguns participantes são escandinavos, a maior parte é britânica ou alemã: as vítimas históricas dos vikings. O festival começou em 1995 e é realizado pelo hotel e restaurante Viking Village, de Hafnarfjörður. Entre os finais de semana, o festival se muda para Sauðárkrókur, na costa norte. Site: fjorukrain.is.

Djasshátíð Egilsstaða (terceiro final de semana de junho). No leste da Islândia, acontece o festival anual de jazz de Egilsstaðir, em vários locais na região. Site: jea.is.

Meio do Verão (em torno de 24 de junho). O dia mais longo do ano é comemorado com festas pelo solstício, apesar de as festividades de meio do verão na Islândia não serem tão grandes quanto nos outros países escandinavos. Alguns supersticiosos rolam nus no orvalho da grama do meio de verão por causa de seus poderes mágicos.

Arctic Open (final de junho). Campeonato de golfe de quatro dias que ocorre em Akureyri, aberto a profissionais e amadores, continua pelas noites até de manhã sob o sol da meia-noite. Site: arcticopen.is.

Festival de Artes de Verão de Akureyri (do final de junho a agosto). Por dez semanas no verão, a "capital do norte" da Islândia recebe uma variedade de apresentações e exibições em vários locais da cidade. Site: akureyri.is.

Á Seyði (meados de junho a meados de agosto). O festival cultural de Seyðisfjörður, workshops e shows. Seus famosos shows de quarta-feira à noite ocorrem na icônica Igreja Azul.

Julho


Humarhátíð (início de julho). No sudoeste da Islândia, em Höfn, a cidade celebra a lagosta todos os anos, com um feira, mercados de pulga, danças, música e muito álcool.

Concertos de Verão na Igreja de Skálholt (julho e início de agosto). Esse festival de música clássica é gratuito e dura cinco semanas. Atrai músicos internacionais para a igreja de Skálholt, no sudoeste da Islândia.

Þjóðlagahátíð á Siglufirði (meados de julho). Esse festival é pequeno, mas perfeito. É um festival de música folk na cidade de Siglufjörður recebe músicos islandeses e estrangeiros.

Eistnaflug (segundo final de semana de julho). Festival de punk e metal, que acontece na cidade dos fiordes do leste, Neskaupstaður.

Brædslan (terceiro final de semana de julho). O festival de pop-rock de Brædslan tem conseguido uma reputação de boa qualidade, com grandes nomes vindo tocar na localidade fora dos circuitos tradicionais, em Borgarfjörður Eystri.

Agosto


Verslunarmannahelgi (Final de Semana Longo de Agosto ou Final de Semana Bancário) (primeiro final de semana de agosto). Nesse final de semana festivo, os islandeses normalmente saem da cidade e acampam em massa. O destino mais conhecido é o arquipélago de Vestmannaeyjar, onde os moradores se juntam a milhares de visitantes nos campings para ouvir bandas ao vivo e se reunir ao redor da fogueira até de manhã cedo. Muitos eventos também acontecem nas cidades.

Festival do Arenque (primeiro final de semana de agosto). No feriado bancário de agosto acontece um dos mais divertidos festivais locais, comemorando os antigos dias de glória de Siglufjörður, com dança, banquetes, bebidas e limpeza de peixe.

Orgulho Gay (segundo final de semana de agosto). O maior evento do orgulho gay da Islândia inclui uma parada, shows, peças teatrais e festas por toda a noite. Site: gaypride.is.

Maratona de Reykjavík e Noite Cultural (terceiro final de semana de agosto). Certamente os 3.500 participantes da maratona anual apreciam a pureza do ar. Os atletas podem escolher entre a maratona completa, uma meia-maratona, uma corrida de 10 km, ou então "corridas divertidas" de 7 km ou 3 km. O restante do dia e da noite são preenchidos com shows gratuitos e eventos culturais, e quando está mais ou menos escuro (por causa do sol de verão), começa um show de fogos de artifício. Site: meningarnott.is (Noite Cultural) e marathon.is (Maratona).

Dia Dinamarquês (terceiro final de semana de agosto). A pequena cidade de Stykkishólmur celebra suas raízes dinamarquesas com danças e bandas tocando ao vivo, no Festival Dias Dinamarqueses.

Festival de Jazz de Reykjavík (final de agosto / início de setembro). Grupos islandeses e internacionais tocam vários estilos em clubes e teatros por toda a cidade.

Festival de Dança de Reykjavík (final de agosto / início de setembro). Coreógrafos contemporâneos de todo o mundo são convidados a participar desse evento de quatro dias. Site: reykjavikdancefestival.is.

Setembro


Recolhimento Anual das Ovelhas e Cavalos (Réttir) (início e final de setembro). Os fazendeiros vão para as terras altas do interior e reúnem suas ovelhas para o inverno. O ritual anual é acompanhado por comemorações quando as ovelhas estão seguras de volta em casa.

Noite das Luzes (início de setembro). O festival Ljósanótt í Reykjanesbær, da cidade de Keflavík, possui um final especialmente lindo, quando cachoeiras de fogos de artifício caem dos penhascos marinhos da cidade. Site: ljosanott.is.

Festival Internacional de Cinema de Reykjavík (final de setembro ou início de outubro). Esse evento de dez dias inclui clássicos do cinema, estreias, retrospectivas, seminários e workshops. Site: riff.is.

Outubro


Iceland Airwaves (meados de outubro). Essa enorme apresentação em três dias do talento alternativo e indie da Islândia (com algumas bandas internacionais também) atrai mais visitantes para a Islândia do que qualquer outro evento. A multidão é enorme, e no meio dela há muitos jornalistas e caça-talentos; quando as bandas param de tocar, os melhores DJs animam a multidão até o amanhecer. A companhia aérea Icelandair patrocina o Airwaves e faz pacotes especiais para o evento a partir da Europa e América do Norte.

Primeiro Dia de Inverno (terceiro sábado de outubro). As famílias se reúnem para lamentar a passagem do verão. Como você pode esperar, não são celebrações, mas sim lamentações.

Novembro


Dias de Escuridão (início de novembro). A cidade do leste, Egilsstaðir, celebra a chegada do inverno de uma forma perversa no decorrer de dez dias, com danças sombrias, histórias de fantasmas, caminhadas sob as estrelas e procissões à luz de tochas durante esse festival.

Dezembro


Temporada de Natal (final de dezembro). No final de dezembro, os islandeses só têm 4 ou 5 horas de luz do dia, o que poderia explicar o entusiasmo deles pelo Natal e suas luzes. As crianças islandesas contam os 13 dias anteriores à data com um grupo de trolls, todos filhos de Grýla (na história tradicional, Grýla comia crianças arteiras, mas no século 18 tornou-se ilegal ameaçar as crianças com Grýla). Cada dia, de 12 a 24 de dezembro, um troll desses desce das montanhas e vai aos lares humanos. Cada troll é nomeado pela travessura que ele faz: Ladrão de Salsichas, Batedor de Portas, Lambedor de Potes, e assim por diante. Na hora de dormir, as crianças deixam um sapato na janela, e ao acordar encontram um pequeno presente do visitante noturno. Do dia de Natal até 6 de janeiro eles aparecem novamente.

Véspera de Ano Novo (31 de dezembro). O uso privado de fogos de artifício é legal somente nesse dia, e todos os cidadãos iluminam o céu em comemoração (chega a ser o caos em Reykjavík). Fogueiras à beira-mar são outro ritual de Ano Novo. Para uma experiência mais refinada em Reykjavík, vá ao recital de trompete e órgão da catedral Hallgrímskirkja.